Para entrar no estudo, clique no link abaixo:

Mocidade On Line

 As atividades de Evangelização estão acontecendo presencialmente.

As inscrições estão abertas!

Preencha a Ficha Cadastral no link a seguir:

https://form.jotform.com/210658335192052

 Para maiores informações mande um email para:  atendimentoceace@gmail.com

“ Há um elemento, que se não costuma pesar na balança e sem a qual a ciência econômica não passa de simples teoria . Esse elemento é a educação, não a educação intelectual, mas a educação moral. Não nos referimos, porém, à educação pelos livros e sim à que consiste na arte de formar os caracteres, à que incute hábitos, porquanto a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos. Considerando-se a aluvião de indivíduos que todos os dias são lançados na torrente da população, sem princípios, sem freios e entregues aos seus próprios instintos, serão de espantar as consequências desastrosas que daí decorrem? Quando essa arte for conhecida, compreendida e praticada, o homem terá no mundo hábitos de previdência para consigo mesmo e para com os seus, de respeito a tudo que é respeitável, hábitos que lhe permitirão atravessar menos penosamente os maus dias inevitáveis. A desordem e a imprevidência são duas chagas que só uma educação bem entendida pode curar. Esse o ponto de partida, o elemento real do bem-estar, o penhor de segurança de todos.” ( Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos. Comentário de Kardec à questão 685 a . )

É notável verificar que as crianças educadas nos princípios espíritas adquirem uma capacidade de raciocinar precoce que as torna infinitamente mais fáceis de serem conduzidas. Nós as vimos em grande número, de todas as idades e dos dois sexos, nas diversas famílias onde fomos recebidos, e pudemos fazer essa observação pessoalmente. Isso não as priva da natural alegria, nem da jovialidade. Todavia não existe nelas essa turbulência, essa teimosia, esses caprichos que tornam tantas outras insuportáveis. Pelo contrário, revelam um fundo de docilidade, de ternura e respeito filiais que as leva a obedecer sem esforço e as torna responsáveis nos estudos. Foi o que pudemos notar, e essa observação é geralmente confirmada.” ( Kardec, Allan. Viagem Espírita Em 1862. Impressões Gerais, pp. 30 e 31.)

O Centro Espírita é, também, uma Escola, Escola de Almas, onde a tarefa da educação espírita é de alta importância, tantos para as novas gerações, como para as antigas. A tarefa da evangelização da criança e do jovem é dever de toda Casa Espírita, pois, as novas gerações são os pés que promovem o mundo futuro.

A evangelização é terapia preventiva; é ajustamento do Espírito ao pensamento do Cristo à luz da Doutrina Espírita, que dá lógica e entendimento ao Evangelho. Pois, na visão Espírita a criança não é um adulto em miniatura, nem uma cera plástica facilmente moldável; trata-se de um Espírito: em recomeço; momentaneamente em esquecimento das realizações positivas e negativas que traz das vidas pretéritas; empenhado na conquista da felicidade: redescobrindo o mundo; se reidentificando; tendendo a repetir atitudes familiares em que se comprazia antes, ou através das quais sucumbiu.

O objetivo primordial da evangelização Espírita é a educação do Espírito imortal, a construção do ser e do saber. É, também, a cooperação na construção de um mundo melhor: mais justo, mais fraterno, mais solidário. Trabalhando o despertamento das  potencialidades  do  Espírito,   suas   faculdades latentes: o amor e a ciência, formando o homem de bem, o cidadão consciente e autônomo.

Consciente da sua responsabilidade de contribuir com a preparação da criança e do jovem na construção do amanhã, o Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança, desde os anos de 1970, tem como uma de suas atividades primordiais a Evangelização da criança e do jovem. O primeiro grupo de evangelizandos do CEACE foi formado com os filhos de seus trabalhadores e frequentadores, tendo como evangelizador Hélio Manoel Canellas. A Casa desde então cresceu e se desenvolveu, contando hoje com uma grande equipe de evangelizadores, atendendo crianças desde os três anos de idade até jovens de vinte e um anos.

As Reuniões Públicas Evangélico-Doutrinárias do Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança se realizam todas os / as:

  • Domingos, das 16:00 às 17:00 h. On Line
  • Terças-feiras, das 15:00 às 16:00 h. Presencial
  • Quartas-feiras, das 20:00 às 21:00 h. Presencial
  • Quintas-feiras das 09:00 às 10:00 h. Suspenso
  • Sextas-feiras, das 20:00 às 21:00 h. Suspenso

Durante todo o ano, mesmo nos feriados locais, nacionais e internacionais.

“Escola benemérita, o templo espírita é um lar de luz, aberto à instrução geral para o entendimento das leis que regem os fenômenos da evolução e do destino.” (Emmanuel / André Luiz – Francisco Cândido Xavier / Waldo Vieira. Opinião Espírita. Comunhão Espírita Cristã, Uberaba – MG,  4ª edição, 1973.)

“Saibamos repartir, através da palavra e da ação, da atitude e do exemplo, o ensinamento espírita à luz do Evangelho do Cristo, imunizando a vida terrestre contra as calamidades de ordem moral. Nós que levantamos a escola para remover as sombras do cérebro, atendamos à educação espiritual que dissipa as trevas do coração.” (Emmanuel / Francisco Cândido Xavier. Rumo Certo. 22 – Ensinamento Espírita. FEB, Rio de Janeiro, 6ª edição, 1971.)

Após a palestra, há distribuição de água fluidificada e passe individual, para aqueles que assim o desejarem.

As palestras são proferidas por expositores da própria Casa, ou palestrantes convidados de outras Casas Espíritas. Os estudos, em geral, versam sobre O Livro Dos Espíritos e O Evangelho Segundo O Espiritismo, de Allan Kardec.

No Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança o serviço de passe  é oferecido sempre, após as Reuniões Públicas Evangélico-Doutrinárias, as quais iniciam: aos domingos – 16h, às terças-feiras – 15h,  às quartas-feiras – 20h.

“ … Chegou, então, um dos chefes da sinagoga, de nome Jairo, e, ao vê-Lo, prostrou-se a Seus pés e suplicou-Lhe insistentemente: “ A minha filha está a morrer: vem, impõe-lhe as mãos para que se salve e viva.” Jesus partiu com ele…”  ( Mc., V: 22 a 24 )

“ … Apenas curou alguns enfermos, impondo-lhes as mãos. Estava admirado com a falta de fé daquela gente.”   ( Mc., VI: 5)    

“ Quem admite hoje o fenômeno magnético, por novidade, se esquece naturalmente de que, no Egito de Ramsés, velho papiro trazido aos nossos dias, já preceituava quanto ao magnetismo curativo: – pousa a tua mão sobre o doente e acalma a dor, afirmando que a dor desaparece.” ( Emmanuel/Francisco Candido Xavier. Religião dos Espíritos. Fenômeno Magnético.)

O Passe Espírita é uma transfusão fluídica, uma doação energética, um derramamento de energias psicobiofísicas provenientes do médium passista, acrescidas das energias ou fluidos espirituais derramados sobre os médiuns passistas pelos Benfeitores espirituais, que atuam neste trabalho socorrista e das energias ambientais. Juntas, produzem as condições de atendimento às necessidades do momento.

O passe, terapia de amor, está inserido entre os recursos capazes de auxiliar os sofredores, na medida em que lhes possibilita a absorção de novas energias capazes de restabelecer o equilíbrio: físico, mental e espiritual.

O passe, sem dúvida, é a terapia que mais se ajusta aos procedimentos inferidos do Evangelho de Jesus e da Doutrina Espírita, principalmente por seu caráter interativo: a vontade e a fé do doador e do recebedor.

O passe não é obrigatório, tomam-no as pessoas que o desejarem.

O passe espírita é aplicado em estado de lucidez e absoluta tranqüilidade; pois, o contato entre o médium passista e os Espíritos responsáveis pela câmara de passes se faz à nível mental: sintonia e intuição, sem manifestação de Espíritos.

Todos os anos, nos meses de outubro e novembro, a Coordenadora do Setor, Renata Neves, recebe inscrições para a turma iniciante do ano seguinte; não havendo nenhum pré-requisito a não ser o interesse e a vontade de conhecer mais e melhor a Doutrina Espírita em seu tríplice aspecto: filosófico, científico e religioso.

Inscrições abertas para o ESDE 2023:

Clique no link e inscreva-se: Formulário on line

“Um curso regular de Espiritismo seria professado com o fim de desenvolver os princípios da Ciência e de difundir o gosto pelos estudos sérios. Esse curso teria a vantagem de fundar a unidade de princípios, de fazer adeptos esclarecidos, capazes de espalhar idéias espíritas e de desenvolver grande número de médiuns. Considero esse curso como de natureza a exercer capital influência sobre o futuro do Espiritismo e sobre suas conseqüências.” (Allan Kardec. Obras Póstumas. Projeto – 1868 – Ensino espírita. FEB, Rio de Janeiro, 25ª edição, 1990.)

“… Além do grande número de pessoas que, por meio do Estudo Sistematizado, vem tomando conhecimento mais aprofundado da Doutrina Espírita, obtendo maior consolo para suas dores e mais esclarecimentos sobre a vida, temos constatado que vários Centros Espíritas vêm formando novos trabalhadores, conscientes e preparados para as tarefas de difusão doutrinária…”

“… Só um seguro conhecimento doutrinário pode consolidar a fé, conscientemente, em bases racionais e permanentes…”

(Revista – REFORMADOR, de abril de 1991. Federação Espírita Brasileira (FEB).)

A partir de 1976, o Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança preocupou-se com o estudo contínuo da Doutrina Espírita; por isso, o estudo das obras de Allan Kardec tornou-se uma constante na Casa. Mas, em 1983, a Federação Espírita Brasileira (FEB) lançou a Campanha do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita, elaborando programas e roteiros de estudos do Espiritismo, concretizando a idéia do Codificador do Espiritismo, Allan Kardec, de que as Sociedades Espíritas deveriam instituir um ensino sistemático da Doutrina. Em 1985, o CEACE aderiu à Campanha da FEB e implantou o Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (ESDE) atraindo para ele trabalhadores e frequentadores, tornando-os tarefeiros mais qualificados e conscientes. Desde então, o curso sofreu reformas, atualizações e adequações necessárias aos tempos modernos. Hoje, a Casa conta, anualmente, com três grupos de ESDE em níveis diferentes. O Curso tem a duração de três (3) anos, com aulas às segundas-feiras, das 20:00 às 21:30 h., de março à dezembro.

 

O Estudo Continuado da Doutrina Espírita é um programa que tem como proposta enfatizar o tríplice aspecto da Doutrina Espírita, estudado de forma mais ampla que no ESDE, em curso no CEACE. Os encontros acontecem de março a novembro sempre no segundo sábado do mês.

Pré-requisito para a inscrição e a participação no curso:

– A conclusão do Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita, proposta da FEB, ou equivalente.

Inscrições para os estudos de 2022 estão abertas, basta acessar o link abaixo:

https://form.jotformz.com/90197221830655 

 

Nesse propósito, lembramos as sábias palavras de Emmanuel:

“Podemos tomar o Espiritismo, simbolizado desse modo, como um triângulo de forças espirituais: A Ciência e a Filosofia vinculam à Terra essa figura simbólica, porém, a Religião é o ângulo divino que a liga ao céu. No seu aspecto científico e filosófico, a doutrina será sempre um campo de nobres investigações humanas, como outros movimentos coletivos, de natureza intelectual, que visam o aperfeiçoamento da Humanidade. No aspecto religioso, todavia, repousa a sua grandeza divina, por constituir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo, estabelecendo a renovação definitiva do homem, para a grandeza do seu imenso futuro espiritual”. Emmanuel: O Consolador. Definição, p. 19-20.

O ECDE está fundamentado nas obras da Codificação e nas complementares a estas, cujas ideias guardam fidelidade com as diretrizes morais e doutrinárias definidas, respectivamente por Jesus e por Allan Kardec. Sempre que necessário, compara os ensinamentos espíritas com outras correntes de pensamento: filosóficas, científicas e religiosas existentes no mundo. Dessa forma, o ECDE prioriza o conhecimento espírita, obviamente, mas destaca a relevância da formação moral do ser humano.

Parte do texto descrito em Conceito e Objetivo retirado da página da FEB na Internet – http://www.febnet.org.br/site/estudos

São objetivos do curso:

– Propiciar o conhecimento aprofundado da Doutrina Espírita no seu tríplice aspecto: religioso, filosófico e científico;

– Favorecer o desenvolvimento da consciência espírita, necessário ao aprimoramento moral do ser humano;

– Estimular o aprendizado contínuo dos trabalhadores e frequentadores da Doutrina Espírita;

– Propiciar aos trabalhadores e frequentadores a possibilidade de reciclagem do conhecimento da Doutrina Espírita.

O ATENDIMENTO FRATERNO – AF é um serviço prestado pelo CEACE, nos dias e horários das reuniões públicas e tem como objetivo receber frequentadores, seus familiares, amigos e trabalhadores da Casa, a fim de esclarecer, orientar, ajudar e consolar à luz do Evangelho de Jesus e da Doutrina Espírita; seu caráter é específico e emergencial, buscando, através do diálogo individual e confidencial, ouvir, com empatia, e orientar aqueles que o solicitam.

Atualmente o AF está ocorrendo on line, mediante agendamento pelo email: atendimento.fraterno.ceace@gmail.com

Contamos com Atendentes Fraternos em todas as Reuniões Públicas on line e presencial.

“ Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para  vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo.” ( Jesus:  Mt., XI : 28 a 30 )

“ … Coloco em primeira instância o consolo que é preciso oferecer aos que sofrem, erguer a coragem dos caídos, arrancar um homem de suas paixões, do desespero, do suicídio, detê-lo talvez, no limiar do crime! Não vale mais isto do que os lambris doirados? “  ( Allan Kardec, Viagem Espírita em 1862, I Discurso pronunciado por Kardec nas Reuniões Gerais dos Espíritas de Lyon e Bordeaux.)

Conforme a Federação Espírita Brasileira (FEB) orienta, “ toda Casa Espírita deve criar condições para o atendimento a todos os que a procuram com o propósito de ser esclarecido, orientado, ajudado ou consolado…” ( Orientação ao Centro Espírita, 1980, 1ª edição, FEB.)

O Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança, desde seus primórdios, sempre prestou esse serviço a todos aqueles que adentram suas portas tangidos por dores e sofrimentos, confusos e desorientados. Mas, como tarefa organizada e regular na Casa, remonta aos anos de 1992. Como a Casa cresceu muito, no início do ano de 1999, o então presidente do 5º CRE, hoje, 5º CEU, Hélio Manoel Canellas promoveu um Curso de Atendimento Fraterno, para os Centros que integram o 5º CEU, a fim de capacitar trabalhadores em tão significativa tarefa. O Curso foi ministrado pela Srª Zilda Alvarenga e Darci Neves Moreira, Coordenadora do Departamento De Evangelização da USEERJ, hoje CEERJ (Diretora da Área de Educação e Família Espírita). O CEACE , com esse Curso, capacitou trabalhadores para essa tarefa e passou a oferecer este serviço todas as quartas e sextas-feiras, regularmente, durante as reuniões públicas, das 20:00 às 21:00 h. Porém, a demanda foi tão grande que em 2004, precisou-se organizar um Curso de capacitação para preparar novos tarefeiros para essa atividade. Graças a  iniciativa de Ricardo Cunha, então Coordenador do Setor, e Amanda Rosenhayme,  Dirigente do Departamento de Educação e Família, organizou-se o 1º Curso de Atendimento Fraterno do CEACE. Curso que se repetiu em 2008, em 2ª edição e 2012, na sua 3ª edição. 

“O Centro Espírita, portanto, deve ser um espaço de convivência, em que  a fraternidade não é apenas um ideal, mas um exercício de construção de relações. Mais que uma Casa prestadora de serviços ( de alimentos, de roupas, etc.) é um espaço de convivência, onde o “assistido”, em sua condição de cidadão _ sujeito de diretos _ gosta de estar, onde seja recebido como é, com seu jeito, com suas características, com sua forma de falar, e onde possa encontrar quem se disponha a conversar com ele de forma natural, de irmão para irmão, dando-lhe tempo para que caminhe do ponto em que se encontra, e, em se desvelando, vá permitindo acesso ao seu coração e acabe abrindo-se, também, para o coração do outro, à semelhança do Bom Samaritano da história Evangélica.” ( Mário  Barbosa )  

“ A primeira tarefa de uma Casa Espírita é o estudo e a divulgação da Doutrina, de todos os modos possíveis , porque se o Espiritismo tem como bandeira “a prática da caridade”, conseqüentemente, a caridade, aí, deve ter seu devido lugar. O objetivo do Espiritismo é a transformação moral do homem,… Daí, a assistência social, a caridade material, sem a caridade moral da iluminação do beneficiado, serem paliativos cujos efeitos logo desaparecem, porque, não erradicadas as causas, permanecem-lhes as conseqüências… Conscientizar o indivíduo para as suas responsabilidades é a primeira tarefa da ação espírita no trabalho do socorro e da caridade.” ( Espíritos Diversos/Divaldo P. Franco. Palavras de Luz. Assistência Social. )

O Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança inaugurou a sua primeira Convivência Fraterna em 1985, assistindo a famílias carentes da baixada fluminense, sob a direção da psicóloga Maria Aparecida Gondar Carrullo e uma grande equipe de tarefeiros do CEACE: médicos, assistente social, evangelizadores e outros. Em 1995, o então presidente, Mauro Reis Pumar,  iniciou a segunda Convivência Fraterna, atendendo à famílias carentes da comunidade da Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana e do Dona Marta, em Botafogo.

Hoje a Casa, com a ajuda das doações de alimentos feitas  por seus trabalhadores e frequentadores, assiste à quarenta famílias, devidamente cadastradas, das comunidades carentes da zona sul, oferecendo-lhes além da cesta básica e duas refeições (café da manhã e almoço, tudo feito no Centro por uma equipe de trabalhadores da Casa) Evangelização para crianças, jovens,  adultos e idosos; assistência médica; atendimento fraterno; aplicação de flúor de seis em seis meses e outros serviços de auxílio e promoção social.

As  CONVIVÊNCIAS  FRATERNAS  se  realizam:

No 1º sábado do  mês,  Convivência Fraterna I.

No 3º sábado do mês,  Convivência Fraterna II

Das  08:00  às  12 h.:30 min.

Em Dezembro, as crianças e os jovens são apadrinhados por frequentadores e trabalhadores, sendo presenteados com um kit de natal e participando de uma grande festa de confraternização.

O Mensageiro Fraterno é uma edição trimestral, pode ser lido e também fazer o “download” na Home Page do CEACE : www.ceace.org.br

“… As brochuras , os jornais , os livros , as publicações de toda a espécie são meios poderosos de introduzir a luz por toda à parte , mas o mais seguro , o mais íntimo e o mais acessível a todos é o exemplo da caridade , a doçura e o amor .” (Revista Espírita , ano XII , maio e junho de 1869 – trecho de mensagem mediúnica de Allan Kardec,  recebida na Sociedade de Paris , em abril de 1869 .)

 “… divulgar não significa catequizar , exigindo mudanças de superfície . É informar , elucidar e transmitir , aguardando que o tempo favoreça os raciocínios sólidos que cooperam na transformação interior .” ( Guillon Ribeiro, Ex- presidente da Federação Espírita Brasileira (FEB) , Cap. 3 . In : Reuniões Doutrinárias E Mediúnicas No Centro Espírita.  Projeto Philomeno de Miranda . LEAL , Bahia , 2001 .)

O  Mensageiro  Fraterno  veio à luz em 1994 ,  na gestão de Mauro Reis Pumar e tinha como editor responsável  Antônio Luiz de Carvalho . Era  o Boletim Informativo do Centro Espírita Amor , Caridade e Esperança , dando-nos a conhecer suas atividades , seus eventos , notícias do Movimento Espírita e da grande imprensa ; e , sua edição era trimestral .

Mais tarde , com interrupções , passou a ser confeccionado por Marcelo Carrullo de Oliveira , com a ajuda da Mocidade do CEACE . Por volta de 1999 até 2003 , o editor responsável foi Hamilton Guerra , tornando-se o jornal quase que exclusivamente Doutrinário . E , a partir de 2004 , Breno Araújo Pereira assumiu a editoração do Mensageiro Fraterno , incumbido de tornar o jornal um veículo de divulgação do Espiritismo. Ainda aí sua publicação , que deveria ser mensal , não conseguiu alcançar a periodicidade almejada , circulando com interrupções .

Em 2006 , a nova Diretoria do CEACE , conjugando esforços , redefiniu a trajetória  do Mensageiro Fraterno , tornando-o um instrumento da Diretoria da Casa em comunicação interativa com seus trabalhadores e freqüentadores ; fazendo com que eventos , festividades e atividades desenvolvidas na Casa , assim como esclarecimentos evangélico-doutrinários, com a finalidade de divulgar a Doutrina dos Espíritos,  sejam veiculados de maneira mais amena e agradável .

Desde abril de 2006 , o jornal tem , mensalmente , cumprido seu cronograma de temas e matérias , elaborado com três meses de antecedência e , seus 150 exemplares vem sendo , regularmente , distribuídos nas reuniões públicas da Casa . Em outubro do corrente ano foi criado um correio eletrônico e  todos os trabalhadores cadastrados do Centro passaram a receber o Mensageiro Fraterno por e-mail ; assim como as Instituições Espíritas representadas no 5º CEU – Capital – Zona Sul 1 e 2 .

O trabalho de Atendimento à Gestante Carente do CEACE, acontece em regime de plantão todas as  terças-feiras do mês, de 14 às 15h.

A gestante que desejar receber o enxoval deverá comparecer num dia e horário de plantão apresentando a identidade e o cartão do pré-natal.

“ A beneficência, meus amigos, dar-vos-á nesse mundo os mais puros e suaves deleites, as alegrias do coração, que nem o remorso, nem a indiferença perturbam. Oh! Pudésseis compreender tudo o que de grande e de agradável encerra a generosidade das almas belas, sentimento que faz olhe a criatura as outras como olha a si mesma, e se dispa, jubilosa, para vestir o seu irmão! …” ( Kardec, Allan. O Evangelho Segundo O Espiritismo. Cap. XIII, Item 11 – A Beneficência. Adolfo, bispo de Argel, Bordéus, 1861.)

“ Sede bons e caridosos: essa a chave dos céus, chave que tendes em vossas mãos. Toda a eterna felicidade se contém neste preceito: “Amai-vos uns aos outros.” Não pode a alma elevar-se às regiões espirituais, senão pelo devotamento ao próximo; somente nos arroubos de caridade encontra ela ventura e consolação. Sede bons, amparai os vossos irmãos, deixai de lado a horrenda chaga do egoísmo. Cumprido esse dever, abrir-se-vos-á o caminho da felicidade eterna…” ( Kardec, Allan. O Evangelho Segundo O Espiritismo. Cap. XIII, item 12 – A Beneficência. Vicente de Paulo, Paris, 1858.)

O Atendimento à Gestante foi instaurado no Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança, em junho de 2009, em continuação ao trabalho de confecção e distribuição de enxovais de bebê a gestantes carentes, que havia sido interrompido por falta de trabalhadores.

O trabalho foi retomado por orientação dos Amigos Espirituais da Casa, que pediram  para se agregar ao auxílio material –  distribuição de enxovais de bebê – a atenção e a orientação às futuras mamães. Assim, sob a égide de Irmã Dulce, Mentora do trabalho e a bondade do Centro Espírita Lar do Amor, do Núcleo de Costura do Atlântico Sul, de frequentadores e trabalhadores, que fornecem as peças para se compor os enxovais; o trabalho da equipe de Atenção à Gestante prossegue: acolhendo, orientando, esclarecendo, consolando e doando enxovais para as futuras mamães que não possuem maiores recursos para recepcionarem a chegada de Espíritos que retornam à Terra para evoluírem conosco.

A visita fraterna ocorre , em regra, no terceiro domingo de cada mês e, tem por objetivo, levar amparo a crianças, adultos e idosos e, quando necessário, auxílio material às instituições.

O aviso da VISITA FRATERNA é dado no início das reuniões públicas, afixado no quadro de avisos, na entrada da Casa e colocado, todo mês, no Site do CEACE.

“… Porque tive fome e deste-me de comer; tive sede e deste-me de beber; era peregrino e recolheste-me; estava nu e deste-me de vestir; adoeci e visitaste-me; estive na prisão e fostes ter comigo… Em verdade vos digo: Sempre que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos a mim mesmo o fizeste…”  ( Mt., XXV: 35 a 40 )

Desde sua fundação, o CEACE colocou em prática a atividade Visita Fraterna, primeiro visitando e ajudando, uma vez por mês, o Abrigo Tereza de Jesus, a Instituição Vicente Moretti, e outras do gênero; quando, então, um grupo seleto de senhores acompanhavam o Sr. Antônio dos Santos para entregar à Instituição a contribuição recolhida entre os trabalhadores e frequentadores da Casa e levar àqueles que lá estavam uma palavra de conforto e esperança. Tempos depois,  já um grupo de homens e mulheres, mensalmente, passaram a visitar o Hospital Zacarias, levando aos enfermos a palavra amiga, o ouvido fraterno e distribuindo artigos de higiene pessoal. Mas, há vinte e três anos, Ana Maria Guerra e Hamilton Guerra começaram a coordenar essa atividade modificando o seu perfil inicial e, uma vez por mês – 3º domingo –, passou-se a visitar, em caravana, Instituições de amparo a crianças, adultos e idosos, como orfanatos, asilos, casas de repouso e saúde, hospitais e Instituições de apoio a deficientes físicos e/ou mentais, existentes na cidade do Rio de Janeiro e na Baixada Fluminense e que se mantêm apenas com doações.

As visitas são programadas com antecedência, pois necessita-se saber o número de internos, localização da Instituição, quem são os responsáveis, o que mais necessitam e se é viável levar um saboroso lanche compartilhado entre internos e visitantes, além da alegria e da música.

Nesse calendário anual de visitas do CEACE há uma programação fixa:

  • A visita à COLÔNIA DE CURUPAITI, no terceiro domingo de outubro, quando é feita a campanha do óleo de soja para o Centro Espírita Filhos de Deus.

Atualmente, o Coordenador da VISITA FRATERNA é Luiz Élson Ribeiro da Rosa, que dá

continuidade  a esse exercício de desenvolvimento da solidariedade e fraternidade que qualquer pessoa pode participar.

Local da atividade: Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança Rua São Manoel, 12 – Botafogo

Dias: toda a 1ª e 3ª terças-feiras de cada mês

Horário: das 16 : 30 h. às 18: 00 h. , após a Reunião Pública

Público alvo: freqüentadores e trabalhadores da Casa, parentes, amigos, vizinhos, a partir de 55 anos. É um grupo aberto a todos aqueles que desejam manter um relacionamento amplo com a vida.

Seu objetivo é dar apoio, esclarecimentos, informações, assim como ressocializar o idoso, no sentido de proporcionar-lhe uma melhor qualidade de vida, desmistificando discriminações, diferenças sociais e preconceitos.

“ O envelhecimento não deve inspirar qualquer tipo de receio, porquanto a beleza de cada fase da existência corporal encontra-se na atitude interior de quem observa o mundo externo. As experiências nascem das vivências e para poder fruí-las é exigido o patrimônio do tempo, no que ocorrem o envelhecimento do corpo e o amadurecimento do Espírito.”(Joanna de Ângelis)

Este projeto, há muito almejado pelo CEACE, foi implantado em 03/10/2006, visando atender a necessidade de se promover cada vez mais discussões em torno do que seja envelhecer, já que a velhice se constitui em um período de grandes crises biopsicosociais, em que muitas vezes o indivíduo precisa de ajuda e esclarecimentos das questões que norteiam a terceira idade, assim como, saber enfrentar as dificuldades inerentes ao envelhecimento.

Tal iniciativa corrobora as pesquisas realizadas, em 2005, pela ONU (Organização das Nações Unidas), que aponta o Brasil como um país de idosos e que, em breve, terá 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos.

As atividades do ENCONTRO COM A MATURIDADE contam com a participação de profissionais como: nutricionista, médicos, geriatras, sexólogos, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais e outros ( música, yoga, dança de salão), que em suas palestras orientam, sanam dúvidas e esclarecem os idosos. Além de promover dinâmicas de grupo, debates sobre livros, filmes, etc. e muito mais.

Conheça o trabalho e desfrute-o.

O Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança possui cinco (5) equipes de reuniões mediúnicas; cada grupo (de 11 a 14 componentes , no máximo) trabalha de quinze em quinze dias: dois às quintas-feiras, um às terças-feiras e dois aos domingos. As reuniões são privadas e visam o auxílio a  desencarnados e encarnados envolvidos em processo de reajuste e à defesa do Centro Espírita contra as investidas de Espíritos avessos à Doutrina Espírita; recomendação feita pelo Espírito André Luiz, na introdução do livro Desobsessão, psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Os tratamentos espirituais realizados às quintas-feiras são indicados pelo Atendimento Fraterno e têm um tempo determinado; mas, é importante a frequência semanal à Reunião Pública, seguida do Passe e da Água Magnetizada; pois, a nossa evangelização e a dos Espíritos que nos acompanham se efetiva aí.

“Uma reunião só é verdadeiramente séria, quando cogita de coisas úteis, com exclusão de todas as demais… Uma reunião é um ser coletivo, cujas qualidades e propriedades são a resultante das de seus membros e formam como que um feixe. Ora, este feixe tanto mais força terá, quanto mais homogêneo for… Sendo o recolhimento e a comunhão dos pensamentos as condições essenciais a toda reunião séria, fácil é de compreender-se que o número excessivo dos assistentes constitui uma das causas mais contrárias à homogeneidade…” (Allan Kardec. O Livro Dos Médiuns. Cap. XXIX – Das Reuniões E Das Sociedades Espíritas, Questões: 327, 331, 332. FEB, Rio de Janeiro, 59ª edição, 1992.)

“A mediunidade não é sinal de santificação, nem representa característica divinatória. Constitui, apenas, um meio de entrar em contato com as almas que viveram na Terra, sendo os médiuns, por isso mesmo, mais responsáveis do que as demais pessoas, por possuírem a prova da sobrevivência que chega a todos por seu intermédio. O respeito e a dedicação que imponham ao trabalho é o que irá credenciá-los.” (Vianna de Carvalho / Divaldo Pereira Franco. Médiuns E Mediunidade. LEAL Editora, Salvador – Bahia, 3ª edição, 1994.)

A Biblioteca está aberta em todos os dias de Reunião Pública domingo, 3ª feira, 4ª feira, 5ª feira, 6ª feira e 2ª feira, no horário do ESDE. E, para se conseguir um empréstimo, basta ser trabalhador ou frequentador da Casa e preencher uma ficha, o tempo estimado do empréstimo, varia entre 20 e 30 dias, dependendo da obra.  O acervo da Biblioteca hoje é de 1231 livros espíritas.

“Estudemos Allan Kardec, ao clarão da mensagem de Jesus-Cristo, e, seja no exemplo ou na atitude, na ação ou na palavra, recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade: a caridade da sua própria divulgação.” ( Emmanuel / Francisco Cândido Xavier. Estude e Viva. 40- Socorro Oportuno, FEB, Rio de Janeiro, 1972.)

“Dois elementos hão de concorrer para o progresso do Espiritismo: o estabelecimento teórico da Doutrina e os meios de a popularizar…” ( Allan Kardec. Obras Póstumas. 2ª Parte – Projeto, 1868. FEB, Rio de Janeiro, 25ª edição, 1990. )

A Biblioteca Antônio dos Santos começou a ser criada por volta dos anos 70, e seu pequeno acervo localizava-se em uma antiga estante preta, a um canto do salão principal. Quando o Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança foi reformado e ampliado, anos 1995/1996, a princípio, instalou-se na antiga secretaria da Casa; mas com a finalização das obras,  um pequeno espaço, perto da Cantina, foi preparado para abrigar a Biblioteca e a Livraria.

A Livraria está aberta aos domingos a partir das 15h, às quartas e sextas-feiras, a partir das 19h, às terças-feiras, a partir das 15h e às segundas-feiras, a partir das 19h e às quintas-feiras a partir das 9h. Se você desejar algum livro espírita, que não tenha na livraria é só encomendá-lo, que ele chegará a suas mãos.

“O Espiritismo tem sua alavanca de expansão no livro que lhe expõe os postulados…”

“Allan Kardec começou o trabalho doutrinário publicando as obras da Codificação e instituindo uma sociedade promotora de reuniões e palestras públicas, uma revista e uma livraria para a difusão inicial da Revelação Nova.”

(Emmanuel / André Luiz – Francisco Cândido Xavier / Waldo Vieira. Opinião Espírita. 37 – Divulgação Espírita. Comunhão Espírita Cristã, Uberaba – MG, 4ª edição,1973.)

A Livraria do Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança sempre foi pequena, mas satisfatória; podendo-se nela encontrar as obras da Codificação Espírita, de Léon Denis, de Gabriel Delanne, de Emmanuel, de Bezerra de Menezes, de Camilo, de Manoel Philomeno de Miranda, de Joanna de Ângelis, de Hermínio de Miranda, Dora Incontri e outros. Nossa livraria já esteve localizada na Secretaria da Casa, no Bazar de Caridade e hoje, divide seu espaço, ao lado da Cantina, com a Biblioteca.

Anualmente, o Centro Espírita Amor, Caridade e Esperança realiza, fora da Instituição, dois eventos fraternos: a Festa Junina, celebrada no mês de junho, em homenagem ao Patrono da Casa, João Batista; e, o Almoço Fraterno, em setembro, quando o Centro comemora sua Fundação. Eventualmente temos também o Cine Debate.  Nesses eventos fraternos, trabalhadores e frequentadores têm a oportunidade de estreitar os laços de amizade e de conversar , sem pressa, com descontração, pois, no Centro, as tarefas, os  afazeres, o tempo corrido, não nos permitem um maior entrosamento. Esses eventos fraternos, ademais, auxiliam o CEACE a estar em dia com os seus encargos financeiros.

“A vida é bênção, e deve ser mantida saudável, alegre, promissora, mesmo quando sob a injunção libertadora de provas e expiações. Tornando tua vida agradável, serão frutíferos e ensolarados os teus dias.” (Joanna de Ângelis / Divaldo Pereira Franco. Momentos de Saúde. 1- Decisão de ser feliz. LEAL editora, Salvador – Bahia, 5ª edição, 2001.)

“ A união permanente de dois seres reflete as Leis Divinas, em seu contexto de perfeição e sabedoria, o que dá a tais uniões sentido de grandeza e respeitabilidade.” ( Emmanuel )

O 1º Encontro de Casais no CEACE  ocorreu em 1994 e foi realizado por três casais, trabalhadores da Casa que adaptaram-no às diretrizes da Doutrina Espírita. Foi um sucesso, atingindo em cheio seu intuito: remexer o que estava adormecido nos casais, renovando e revigorando os laços de amor que os uniam.

O interessante é que o trabalho não terminou com o Encontro, pois foram incentivados os pós-encontros, que realizavam-se, em média, a cada 2 ou 3 meses por ano, fazendo com que a amizade e o entendimento criasse fortes vínculos de afeição entre os casais que participaram desse 1º Encontro.

Durante cinco anos, infelizmente, não houve novos Encontros, mas em 1999, quatro dos casais que haviam participado desse primeiro evento, obtiveram permissão da Diretoria do CEACE para retomar o trabalho que ficara estacionado. E, em 2000, idealizam e executam o II Encontro de Casais do CEACE. Trabalho tão lindo e importante para os dias atuais, em que tantas discórdias e separações se verificam , não poderia  cair no esquecimento e na inatividade.

É o espaço e o momento, no qual os casais refletem, trocam experiências, vivenciam alegrias, conhecem novos amigos e exercitam o AMOR e a HARMONIA em sua plenitude, em dois dias de prazeroso encontro –   sábado durante todo o dia e na manhã de domingo.

É a visão do AMOR à luz do Evangelho de Jesus.

O Centro Espírita Amor Caridade e Esperança criou a CAMPANHA DO QUILO para atender às famílias cadastradas e assistidas pela Casa, nas duas CONVIVÊNCIAS FRATERNAS que ocorrem no 1º e no 3º sábado de cada mês. As bolsas de alimentos distribuídas entre essas famílias são compostas por doações anônimas, carinhosamente ofertadas pelos frequentadores do CEACE, por amigos de seus frequentadores e pelos próprios tarefeiros da Casa. Os pedidos são feitos no início das reuniões públicas, e, prontamente atendidos por esses corações atentos e caridosos, que, sem conhecerem as famílias assistidas, auxiliam o próximo colocando o amor em ação.

“ Então, levantando-se, disse-lhe  um doutor da lei, para o tentar: Mestre, que preciso fazer para possuir a vida eterna? _ Respondeu-lhe Jesus: Que é o que está escrito na lei? Que é o que lês nela? _ Ele respondeu: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, com todas as tuas forças e de todo o teu espírito, e a teu próximo como a ti mesmo. _ Disse-lhe Jesus: Respondeste muito bem; faze isso e viverás.”    ( Lucas, X : 25 )

“ … Agora, estas três virtudes: a fé, a esperança e a caridade permanecem; mas, dentre elas, a mais excelente é a caridade.” (Paulo, 1ª epístola aos Coríntios, XIII: 13)

Amorização é um encontro bienal e interno do CEACE que tem por finalidade promover o congraçamento e integração fraterna de todos os trabalhadores.