Evangelho no Lar

“Quando uma família ora em casa, reunida nas blandícias do Evangelho, toda a rua recebe o benefício da comunhão com o Alto.” (Joanna de Ângelis / Divaldo Pereira Franco. Messe De Amor. 59- Jesus Contigo. LEAL, Salvador – Bahia, 6ª edição, 1993.)

“Quando o ensinamento do Mestre vibra entre as quatro paredes de um templo doméstico, os pequeninos sacrifícios tecem a felicidade comum. A observação impensada é ouvida sem revolta. A calúnia é isolada no algodão do silêncio. A enfermidade é recebida com calma. O erro alheio encontra compaixão. A maldade não encontra brechas para insinuar-se. E aí, dentro desse paraíso que alguns já estão edificando, a benefício deles e dos outros, o estímulo é um cântico de solidariedade incessante, a bondade é uma fonte inexaurível de paz e entendimento, a gentileza é inspiração de todas as horas, o sorriso é a sombra de cada um e a palavra permanece revestida de luz, vinculada ao amor que o Amigo Celeste nos legou.” (Emmanuel / Francisco Cândido Xavier. Luz  No Lar. 1- Culto Cristão No Lar. FEB, Rio de Janeiro, 7ª edição, 1991.)

“O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum. Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranqüila sem que o lar se aperfeiçoe? A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações? Se nos não habituamos a amar o irmão mais próximo, associado à nossa luta de cada dia, como respeitar o Eterno Pai que nos parece distante?

...

Então Jesus, convidando os familiares do apóstolo (Simão Pedro) à palestra edificante e à meditação elevada, desenrolou os escritos da sabedoria e abriu na Terra, o primeiro culto cristão do lar.” (Neio Lúcio / Francisco Cândido Xavier. Jesus No Lar. 1- O culto cristão no lar. FEB, Rio de Janeiro, 27ª edição, 2001.)

Entende-se por Culto do Evangelho no Lar a reunião da família em dia e hora certos, para estudo do Evangelho e oração em conjunto.

Poderão participar do Culto todas as pessoas integrantes do lar, inclusive as crianças.

Os benefícios da prática do Culto do Evangelho no Lar são percebidos desde os primeiros momentos em que é instaurado; pois, as reuniões de O Evangelho no Lar melhoram o ambiente afetivo e espiritual da família, ensejando um momento de paz  e  compreensão  na  vida  familiar. Une  mais  seus  membros,  pela   atividade espiritual em comum; amplia o conhecimento e entendimento do Evangelho, elevando o padrão vibratório de todos e fortalecendo-os espiritualmente para as lutas diárias da vida; além de higienizar o ambiente e protegê-lo de Espíritos intrusos e desocupados, pois, o cultivo de bons e nobres pensamentos e sentimentos faz com que a psicosfera do ambiente atraia a presença e a assistência dos bons Espíritos, evangelizando, também, os desencarnados carentes, que estejam no ambiente ou relacionados aos seus membros.

Nestes instantes de serena beleza, em que o círculo doméstico se volta para Jesus, os Mensageiros do Bem se acercam do Lar e os familiares já desencarnados, e que se preocupam em velar pelos que permanecem  encarnados, se aproximam e espargem sobre todos energias pacificadoras e harmoniosas que retemperam as forças e fortalecem o bom ânimo a fim de seguirmos adiante.

A reflexão da família em torno do ensino do Mestre Jesus, as ponderações e comentários, sob o ponto de vista de cada um, auxiliados pelos esclarecimentos da Doutrina Espírita, são elementos altamente terapêuticos favorecendo a renovação fluídica do clima doméstico.

A oração em conjunto amplia os horizontes mentais e eleva as almas na direção do Bem. A psicosfera que se cria nos momentos do Culto do Evangelho no Lar favorece o entendimento e a fraternidade, pois cada um se coloca mais perto do outro e em posição mental receptiva ao amparo dos Benfeitores espirituais.

Para o Culto, as providências são simples:

  • Um dia certo na semana;

  • Um horário intransferível para sua realização;

  • Um cômodo onde todos os familiares se reúnam, ou apenas uma pessoa;

  • Um jarro de água filtrada, ou um copo, caso seja  só uma pessoa;

  • Um volume de qualquer livro de mensagens (Fonte Viva; Vinha de Luz; Caminho, Verdade e Vida; etc.);

  • Um volume de O Evangelho Segundo O Espiritismo.

 

MECÂNICA:

  • Inicia-se o culto, com a leitura de uma página, aberta ao acaso, do livro de mensagens;

  • Faz-se, em seguida, uma prece pedindo a assistência e proteção dos Benfeitores espirituais. Prece simples, sincera, breve, de preferência espontânea, proferida por um dos participantes;

  • Abre-se o Evangelho ao acaso;

  • Faz-se a leitura em voz alta, do trecho aberto;

  • Tece-se comentários sobre o mesmo, ensejando a participação de todos;

  • E, encerra-se o culto com uma prece de agradecimento pelas orientações recebidas.

Os comentários  sobre  o  ensinamento  do  dia  podem  alongar-se,  depois, enquanto houver interesse e for oportuno.

Cuidados necessários:

  • Devemos desvincular o Culto do Evangelho no Lar de toda e qualquer idéia de intercâmbio mediúnico, mesmo o de mentores espirituais;

  • O ambiente não é ajustado à clarividência, nem à psicofonia, nem à psicografia e menos ainda a qualquer tentativa de esclarecimento (doutrinação) a Espíritos sofredores;

  • Os médiuns devem reprimir toda e qualquer manifestação, por mais coercitiva sejam as influenciações registradas. O Centro Espírita é o lugar ideal para tudo isso, por estar preparado e protegido por zelosos Benfeitores espirituais;

  • Evitemos, também, transformar o tema evangélico da lição recebida em trampolim para observações diretas ou indiretas a qualquer membro da família ou a algum amigo em particular, ou vizinho, ou parente, ou desafeto.

O hábito do Culto do Evangelho no Lar além de criar um  círculo  de  proteção ao ambiente doméstico, ajuda, também, a formação de um mundo melhor na Terra, porque a evangelização estimula e acentua o sentimento de fraternidade e pode fazer germinar, em cada lar, as sementes do amor e da paz.